Epopéias de Pedrão - Dilema

- Puta merda! – Diz Pedrão ao olhar para a geladeira vazia.

Ele odeia quando chega a hora da janta e não tem nada pra comer.

- Sempre esqueço de comprar comida pra casa!

Pedrão pára de frente para a geladeira e olha para o seu interior: meia garrafa de água, um ovo, e alguns sachês de catchup que ele afana quando come no AM/PM do bairro.

Passa pela sua cabeça pedir uma pizza, mas todos os funcionários da pizzaria já o conhecem pelo nome por causa dos freqüentes pedidos. Também está com muita preguiça de ir naquela barraca de cachorro quente atrás do Shopping pra matar a fome.

Sem saber cozinhar e sem a menor noção de organização, Pedrão pensa:

- Preciso arrumar uma namorada.

Olhando para a luz da geladeira ele começa a lembrar de suas últimas relações:

Era um Domingo e ele já estava pronto para ir ao sagrado futebol com os amigos no bairro da Lagoa.
- Amor, antes de sair, passa ali na feira e compra banana pra eu fazer uma torta?

- Porra, Sandra! Se eu for, eu me atraso pro futebol!

- Mas é rapidinho. – argumenta a mulher. São só 10 minutinhos.

- Tá! Tá! – ele sabia que iam ser mais que 10 minutos, mas se continuasse discutindo com ela ia se atrasar muito mais. Preferiu ir na feira e acabara com aquela conversa infrutífera.

Passados 20 minutos, Pedrão volta e entrega a sacola para a mulher. Rapidamente se vira para a porta e parte para a pelada com os amigos.

- Peraí!!! – interrompe a mulher, tal qual um carcereiro impedindo a fuga de um presidiário.

- Que foi? – pergunta indignado.

- Você comprou errado. Eu te pedi uma penca de banana prata e você trouxe uma de banana da terra.

- Ah, Sandra! Foi mal! Eu te avisei que não sabia comprar essas coisas. Nem sabia que o coletivo de banana era penca. Vai ver foi por isso que o cara da barraca riu quando eu pedi um cacho.

- Tu é muito burro mesmo! O que eu vou fazer com isso agora? – Grita a mulher.

- Burro é o caralho! – responde Pedrão – Burro é o teu pai que atura você e a vaca da tua mãe ao mesmo tempo. Ah! Vai se fuder!


Sandra saiu do apartamento, antes mesmo de ouvir a boa sugestão de Pedrão sobre um belo local para colocar as bananas.

Lembrou também de Camila. Uma garota de 23 anos que ele conheceu num barzinho.

Certa vez, ela o acordou às três e quinze da manhã e perguntou:

- Benhê...Você acha que eu tô gorda?

- Ahn?

- É. Você acha que eu engordei?

- Não. – Responde o moribundo – Você tá normal.

- Eu acho que engordei desde que a gente se conheceu.

Pedrão sabia que isso era uma situação difícil. Seria necessário escolher bem as palavras para não causar uma briga.

- Eu não reparo nessas coisas, amor. – diz Pedrão com os olhos fechados.

- Você não repara em mim?!?!?!?! – grita a companheira, jogando as cobertas para o outro lado do quarto.

- Não é isso. É que...

- Insensível!

- Calma, Camila. Eu sou tô dizendo que...

-Grosso!

- Vai tomar no cú, garota! Tô cheio de sono e tu vem me encher o saco. E quer saber? Tu tá gorda pra cacete! Daqui a pouco nem vai passar pela porta.

A última notícia que teve foi que ela tinha ido para uma clínica de desintoxicação, para se livrar do vício dos inibidores de apetite.

Teve um outro namoro com uma menina chamada Luiza. Ela era gente boa, tinha um papo cabeça e tudo mais. Pedrão até hoje não sabe o que aconteceu para ela nunca mais aparecer.

Era uma tarde de domingo e Pedrão não havia conseguido comprar ingressos para a final do campeonato carioca. Ia ser um jogaço. Ele estava super-confiante e tinha certeza que o Flamengo ia levar a taça. Comprou o jogo pelo pay-per-view e se sentou na frente da televisão.

Os times ainda não tinham entrado em campo e Pedrão estava na expectativa.

- Pedrinho. A gente já está namorando há quase oito meses.

- Porra! Tudo isso?

- É. Eu estava pensando em...

- Cala a boca que eles vão dar a escalação.

-Que?!!?! – pergunta indignada.

- Shhhhhhhh!!!

- Eu estou aqui querendo conversar sobre nós dois e você me manda calar a boca?

- Não enche, Luiza. O dia tem 24 horas e você quer discutir a relação logo na hora do jogo? Vai fazer as unhas ou arrumar alguma coisa pra fazer.

- Oh. – Surpreende-se a mulher se virando e indo em direção a porta.

- Quando voltar traz umas cervejas porque meus amigos vêm aqui mais tarde.

Estranhamente ela nunca mais voltou.

Pedrão ponderou mais uma vez sobre arrumar uma namorada e tomou a decisão. Pega o telefone e disca um número.

- Pizzaria Parmê, boa noite. – responde alguém do outro lado da linha.

- Fala Zeca. Manda uma pizza de calabresa com cebola.

By Léo Pose



Clique na imagem abaixo e entre na Comunidade do OMdM


6 Machos Comentaram:

Camiseta Personalizada disse...

Oi, achei teu blog pelo google tá bem interessante gostei desse post. Quando der dá uma passada pelo meu blog, é sobre camisetas personalizadas, mostra passo a passo como criar uma camiseta personalizada bem maneira. Se você quiser linkar meu blog no seu eu ficaria agradecido, até mais e sucesso.(If you speak English can see the version in English of the Camiseta Personalizada.If he will be possible add my blog in your blogroll I thankful, bye friend).

O Mundo dos Machos disse...

ps: as ideias contidas nessas historias naum foram inspiradas em ocasioes passadas. Qq semelhança com pessoas ou situacoes reais é mera coincidencia.
uhauahuahuahuahuahuahau

Anônimo disse...

"- Peraí!!! – interrompe a mulher, tal qual um carcereiro impedindo a fuga de um presidiário."
Uma tirada sagaz.

O Mundo dos Machos disse...

qm jah passou por isso sabe que a situacao de frustracao eh bem parecida com a de um presidiario tentando a fuga.


uahsuahsuahsuahsuahsu

Cris Feliz disse...

Ou seja, o Pedrão é um primor de rapaz, desconfio que vai morrer solteirão. Rsrsrsr

Anônimo disse...

ler todo o blog, muito bom

 
© 2007 Template feito por Templates para Voc�